Piraporiando e Governo Britânico: Importância do Inglês na redução das desigualdades


O Governo Britânico e a Piraporiando promoveram em outubro deste ano o Seminário “Língua inglesa como habilidade para redução de desigualdades”. O evento fez parte do UK-Brazil Skills for Prosperity Programme, iniciativa do governo britânico que trabalha pela democratização do ensino de inglês em escolas públicas do Brasil, e foi idealizado em parceria com a Piraporiando - Negócio de Impacto, Tecnologia e Inovação Social que atua em prol da Educação Antirracista, Antibullying, Antipreconceito e de Promoção da Equidade de Gênero, criando conteúdos, experiências e vivências de uma educação pautada na diversidade.


O evento debateu a importância do ensino do inglês para jovens negros brasileiros na redução das desigualdades e no combate ao racismo. O encontro reuniu especialistas em educação e casos práticos que apontam caminhos para que a juventude negra tenha mais acesso ao idioma para construção de uma sociedade mais equânime.


Uma pesquisa realizada pela British Council em 2019 apontou que apenas 5% dos brasileiros falam inglês, mesmo 91% dos executivos entrevistados consideram essencial o idioma no mercado de trabalho. Vagas que exigem inglês tornam-se impeditivo para que jovens negros possam conquistar oportunidades e se desenvolver profissionalmente.


O Seminário contou com a presença de Peter Wilson, Embaixador Britânico no Brasil, Janine Rodrigues, fundadora da Piraporiando, Lisa Weedon, Vice-Cônsul Geral, Cintia Gonçalves, gerente de Inglês do British Council, dentre outros especialistas.


Perspectivas e boas práticas no ensino do inglês


A professora Lilia Melo, criadora do projeto “Juventude Negra Periférica – Do Extermínio ao Protagonismo”, com jovens do bairro Terra Firme, em Belém (PA) e ganhadora do prêmio nacional “Professores do Brasil”, promovido pelo MEC (2018) participou e contribuiu com seu olhar sobre oportunidades em educação, principalmente para a juventude periférica.


Adriano Carvalho, professor de inglês e fundador da Black English Diáspora compartilhou vivências e práticas para uma educação antirracista no ensino do idioma.

Já Patrícia Costa, responsável pela elaboração de materiais didáticos de inglês para a prefeitura do Rio de Janeiro, contou os desafios na produção de conteúdos para democratizar o ensino do idioma. A pesquisadora da Diáspora Africana e consultora em inovação e diversidade Marta Celestino trouxe sua experiência na construção de metodologias de ensino à frente da Ebony English.


A professora Fabiana Côrtes trouxe a experiência do “Ela Mandela”, projeto que promove a formação de mulheres negras para a liderança e também do curso de inglês afrocentrado Winners também compõe o painel.


Quando o inglês faz a diferença


O painel “Barreiras e soluções – quando o inglês faz toda a diferença?” trouxe a historiadora, pesquisadora e professora da rede pública Carolina Maíra que tem como foco de trabalho a pesquisa sobre jovens negros e a importância do inglês como oportunidade.

Para ampliar o debate, Joana Oscar, professora, Mestra e Doutoranda e atuante na Gerência de Relações Étnico-Raciais da Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro, compartilhou as iniciativas que apoiam jovens no aprendizado do inglês.


Jamille Bastos, ex-bolsista da Chevening Scholar, com experiência de estudos em escolas públicas contou sua trajetória e como o domínio do inglês a ajudou a quebrar barreiras.


Visando difundir ainda mais a importância deste trabalho, a Piraporiando e o Governo Britânico prepararam um e-book e um vídeo do evento, que será disponibilizado gratuitamente para todos e todas em Janeiro de 2022. Além disso, em março, a Piraporiando irá realizar um importante encontro com estudantes para discutir ações necessárias de democratização do acesso ao inglês. Para ter acesso a todas as informações e acompanhe aqui as novidades.


35 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo