Cases inspiradores de diversidade nas empresas



Nos últimos anos vimos o avanço da discussão sobre a importância da diversidade nas empresas. Faz parte deste avanço o apoio e uso das políticas de ações afirmativas que, por exemplo, permitem a especificação de vagas para pessoas negras. E por falar em ação afirmativa, você sabe o que é isso?


Ações afirmativas são políticas sociais de combate a discriminações étnicas, raciais, religiosas, de gênero, para promover a participação de minorias no processo político, no acesso à educação, saúde, emprego, bens materiais, entre outros. Uma das mais conhecidas é a Lei 12.711/2012 (Lei de cotas).

Dentre os casos da busca por mais diversidade, alguns tiveram grande destaque devido a repercussão e digamos “choque” causado na sociedade, que ainda não entendeu amplamente que existe um descompasso entre oportunidades para a população negra e branca, por exemplo.


Vale sempre lembrar que a diversidade étnica é importantíssima, mas não é a única. Há de se falar sobre diversidade de gênero, de classe e de raça, sendo esta última merecedora de um olhar mais amplo, uma vez que no Brasil todo e qualquer tema de desigualdade será atravessado por questões raciais.


Como exemplo disso temos a violência contra a mulher. Se analisamos o recorte da violência contra a mulher negra os dados são ainda mais críticos:

Mulheres negras têm 64% mais risco de serem assassinadas do que brancas. Mortes violentas de negras sobem, enquanto a de brancas cai; em feminicídios, 2 em 3 vítimas são negras. (Atlas da violência, Anuário da Segurança Pública 2020,2019).

Além disso, no Brasil, os mais pobres são pretos. Os que menos acessam a escola, os que mais evadem, os jovens que mais morrem por arma de fogo e os que menos são alfabetizados, são pretos.


Por isso, pensando no recorte étnico-racial, gostaríamos de compartilhar alguns casos de empresas que se posicionaram contra o racismo e em prol da diversidade em suas organizações.



Magazine Luiza relança programa para contratação de profissionais negros: Companhia decidiu repetir em 2021 a contratação apenas de pretos e pardos recém-formados na tentativa de aumentar proporção de profissionais em cargos de liderança. A empresa recebeu uma série de parabenizações, mas também críticas. Falas como ''racismo reverso'' são ouvidas e lidas nestes casos, o que é um total absurdo pois tenta invisibilizar as desigualdades provocadas pelo racismo.


Ambev supera meta de contratação de funcionários e fornecedores negros em 2021:

A fabricante de bebidas Ambev superou as metas de contratação de funcionários pretos e pardos e gerou mais de R$ 15 milhões em negócios com empreendedores negros.


A Ambev tem um produto que está diretamente ligado ao dia a dia do brasileiro. A cerveja é um produto tão popular que abre oportunidade de diálogo com uma parcela enorme da população. Por isso, usar este lugar de poder (ou seja, poder de comunicação) e se posicionar contra o racismo é algo fundamental que todas as empresas deveriam fazer, sobretudo as de grande porte e com produtos de larga escala.


Um caso que também merece nossa atenção é a IBM, que vem pensando diversidade faz muito, muito tempo.

Em 1899 a IBM contratou seu primeiro funcionário negro e as primeiras funcionárias mulheres, 20 anos antes das mulheres ganharem o direito de votar nos Estados Unidos. A primeira pessoa com deficiência foi contratada em 1914 . Em 2006 a IBM se posicionou contra leis que limitavam os direitos da comunidade LGBTQIA+ nos Estados Unidos e aqui no Brasil o programa de benefícios para casais do mesmo sexo completará tem 13 anos.


Diversidade não é modinha. É responsabilidade. É dever, não é por mera bondade. Marcas e empresas inteligentes sabem que estarão condenadas ao fracasso caso ignorem o fato de que a diversidade nas organizações promove equidade, ambientes mais criativos e mais justos.

37 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo